top of page

Getúlio Vargas era de esquerda ou de direita?

Essa é uma pergunta muito difícil de responder, mas vou tentar porque é a que eu mais recebo no meu perfil no tiktok.


Primeiramente é preciso entender quais são as ideologias que mais influenciaram Vargas.


Ele nasceu no Rio Grande do Sul e lá, na cidade de São Borja, começou sua carreira política.


Sua principal influência intelectual foi Júlio de Castilhos, que fundou uma vertente do positivismo chamada castilhismo.


A proposta política positivista é a crença de que uma sociedade precisa ser organizada com princípios semelhantes aos da ciências exatas.


Mentes racionais devem definir diferentes funções para que a população possa viver em ordem.


As correntes derivadas do positivismo, defendem a centralização de poder, para que o chefe de Estado possa organizar a sociedade. Assim, a hierarquia é algo muito importante.


“toda escolha dos superiores pelos inferiores é profundamente anárquica” Augusto Comte 


Seguindo essa fala, faz sentido a postura replicada por Vargas de defender o centralismo, ser crítico da democracia e atacar o liberalismo.


Então Vargas era totalmente anti-liberal.


Além de anti-liberal, ele era anti-comunista e anti-anarquista.


Fato que pode ser provado pela ampla perseguição que ele promoveu a esses partidos em seu governo. Bom, ele também não seguia uma tradição de conservadorismo inglês ou brasileiro, já que o que o levou ao poder foi uma revolução inflada pelo pensamento tenentista.


E aí está outra corrente que influenciava Vargas, o tenentismo. Que defendia um governo militarizado, centralizado e nacionalista. 


Do ponto de vista econômico, Vargas defendia uma economia dirigida pelo Estado, com muito intervencionismo.


Resumindo, Vargas era positivista, nacionalista, anti-liberal, anti-comunista, anti-anarquista, desenvolvimentista e populista.


Qual ideologia naquela época lembra essas características? O fascismo. 


Não à toa Vargas em diversos momentos demonstrou simpatia a este regime.


Porém ele era pragmático e muito menos ideológico do que o Mussolini, abria exceções para todas as ideologias de acordo com o seu interesse.


Se aproximou muito dos EUA e de seu presidente, o Roosevelt.


Então pensando nas correntes políticas da época, e entendendo que a direita dominante daquele momento não era liberal ou de um conservadorismo clássico, mas sim de cunho similar ao fascismo. 


E levando em consideração o que o Hayek chama de “socialismo de direita”. 


HAYEK, Friedrich. O Caminho da Servidão. 4a ed. Rio de Janeiro: Instituto Liberal Expressão e Cultura, 1987. p. 167 - 168


E pela similaridade do Vargas com essas crenças e a oposição muito agressiva dele às duas principais correntes políticas à esquerda da época, 


eu tendo a entender ele como mais à direita ou como uma espécie de terceira via, não consigo bater o martelo ainda.


Contudo, como o próprio Vargas disse ao jornalista André Carazzoni:


“Gosto mais de ser interpretado do que me explicar”

Fica o desafio para vocês nos comentários argumentarem se Vargas era de esquerda ou de direita.


Luiz Ottoni

Historiador


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page